AGENDA

SESSÃO ORDINÁRIA: 22/08 - 17H

imprensa

03/08/2017

Legislativo homenageia sete pessoas com título de Cidadão Honorário

Destaque

Em sessão solene realizada na noite desta quarta-feira, 2, a Câmara Municipal concedeu o título de Cidadão Honorário de Brusque a Cândido Horácio Godoy, José Ângelo Cunha Voltolini, Carlos Jarbas Bruhns Cunha, Anselmo Scarduelli, Max Otto Riegert, Vera Maria Bina da Silveira e Gilmar Doerner. Seus nomes foram indicados, respectivamente, pela vereadora Ana Helena Boos (PP) e pelos vereadores Sebastião Lima (PSDB), Ademilson Gamba (PSB), Deivis da Silva (PMDB), Rogério dos Santos (PSD), Leonardo Schmitz (DEM) e Nilson Pereira (PSB). A solenidade promovida pelo Legislativo se insere nas comemorações dos 157 anos de fundação da Colônia Itajaí-Brusque.

Como anfitrião da casa legislativa, Deivis da Silva, o Deivis Jr., interpretou, em nome da Câmara, o significado da celebração. “O verdadeiro mérito na história do município está nas mãos da sociedade civil, das pessoas, de lideranças inomináveis, que envolvidas pelo sentimento do bem comum, das coisas coletivas, foram protagonistas de iniciativas admiráveis”, salientou o parlamentar após refletir sobre o precário tratamento dispensado aos imigrantes pelo governo imperial brasileiro. Ele lembrou também da emancipação político-administrativa da colônia, em 1882: “Por meio de um ato político prematuro, o governo antecipava ao povo brusquense a responsabilidade da autogestão administrativa, simplesmente para se descompromissar com os investimentos públicos, jogando a comunidade estrangeira à própria sorte”.

Deivis enalteceu ainda o histórico e a atuação de entidades recreativas no município, como o Clube de Caça e Tiro Araújo Brusque, e comerciais, como a Câmara de Dirigentes Lojistas. Frisou o papel das igrejas Católica e Luterana para a formação moral e ética da sociedade brusquense, bem como sua importância nas áreas da Educação e da Saúde. Já as fábricas de tecidos e de fiação, disse, “são sinônimos do pioneirismo catarinense na indústria têxtil”. Citou, por fim, os clubes Esportivo Paysandu e Atlético Carlos Renaux, para depois fazer a leitura de uma breve biografia de cada homenageado. “A homenagem recai sobre figuras que há muitos anos vivem o dia a dia da cidade, integradas com todas as classes, prestando serviços e contribuindo com a prosperidade coletiva”, afirmou.

Realizada a entrega dos títulos, José Ângelo Cunha Voltolini se manifestou como representante dos homenageados: “É muito difícil não nos sentirmos emocionados ao sermos contemplados com esta honra. Com surpresa, recebemos o convite e até nos questionamos o porquê de termos sido escolhidos, o que fizemos mais do que os outros para merecê-la. Segundos Aristóteles, a grandeza não consiste em receber honra, mas em merecê-la. Achamos uma explicação na grandiosidade das palavras de Eclesiastes, no primeiro verso do terceiro capítulo, que diz: ‘Todas as coisas têm seu tempo, e todas elas passam debaixo do céu, segundo o termo que a cada uma foi prescrito’. Achamos que Deus definiu que este era o momento para sermos reconhecidos como cidadãos brusquenses. [...] Nessa cidade, já sorrimos e choramos, nas incontáveis e sucessivas vezes que participamos dos eventos sociais, religiosos, cívicos, familiares, e de situações corriqueiras do dia a dia, tocando-nos profundamente a leveza e a alegria contagiante da cultura popular e de uma das mais marcantes recordações que guardo comigo, que é o Natal em família. Cada um de nós, em sua participação voluntária, lutou no que considerou muito justo, mas, agora, com este título de cidadão honorário, mais do que nunca e com muito mais afinco, vamos lutar entrincheirados nas associações organizadas, na busca dos direitos e da justiça daqueles que não têm força e nem voz para o fazer”.

O prefeito Jonas Oscar Paegle (PSB) também fez uso da palavra para cumprimentar os homenageados: “As pessoas agraciadas nesta noite contribuem para uma cidade melhor. Parabéns a todos e à Brusque pelos seus 157 anos, uma cidade que busca o desenvolvimento sustentável e a valorização o ser humano. Que no próximo ano possamos estar aqui reconhecendo outras personalidades desta cidade que tanto amamos”, disse o chefe do Executivo.

O evento foi animado com a execução das canções “É preciso saber viver”, de Roberto Carlos”, e “Trem Bala”, de Ana Vilela, interpretadas pelo músico Igor Alves. Convidados e familiares dos homenageados, vereadores, autoridades e imprensa acompanharam a sessão solene, conduzida pelo presidente da Câmara, vereador Jean Pirola. Na mesa dos trabalhos, estavam ele, o vereador Paulinho Sestrem (PRP), o prefeito Jonas Paegle, a diretora do Foro da Comarca de Brusque, juíza Iolanda Volkmann, o consultor jurídico da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Brusque, Edemir Aguiar, que representou o secretário executivo da ADR, Ewaldo Ristow Filho, o tenente coronel Moacir Gomes Ribeiro, comandante do 18º Batalhão de Polícia Militar de Brusque, e o reitor da Unifebe, Günther Lother Pertschy. O mestre de cerimônias foi o diretor geral da Câmara, Jefferson Silveira. 

Breve biografia dos homenageados

Cândido Horácio Godoy nasceu dia 26 de março de 1953, em Porto União (SC). Aos 20 anos, em abril de 1973, ingressou na carreira de bancário no Banco do Estado de Santa Catarina (Besc). De office boy, passou a escriturário, até conquistar o cargo de gerente. Seus 37 anos dedicados à atividade lhe renderam o Prêmio de Empregado Padrão Besc, que destacava os profissionais com vida familiar, comunitária e funcional exemplar. Em 1981, ele assumiu a gerência geral da agência Besc de Brusque. Transferido depois para outras cidades, retornou ao município em 1995, e pela terceira vez em 2004, onde encerrou a carreira, em 2009. Foi um dos fundadores do Sindicato dos Bancários de Brusque, em 1984. Como voluntário, esteve na presidência e na vice-presidência da Profomento – Agência de Crédito, entre 2011 e 2016. Hoje, é o segundo diretor financeiro da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) e integra o Conselho Fiscal do Observatório Social de Brusque. Na Associação Empresarial de Brusque (Acibr), exerce a função de diretor executivo.

José Ângelo Cunha Voltolini nasceu dia 08 de setembro de 1947, em Nova Trento (SC). Formado em Administração de Empresas e membro da Igreja Luterana, participa voluntariamente da APAE de Brusque desde 1982, quando assumiu o cargo de diretor, a convite do professor Afonso Gonçalves de Farias. Em 1984, presidiu a comissão organizadora do 1º Congresso Catarinense das Apaes. No ano seguinte, foi eleito presidente da APAE de Brusque, e em 1987, delegado regional das Apaes do Médio Vale e da Foz do Itajaí. Desde 1989, ocupou praticamente todos os cargos da diretoria executiva da instituição, da qual é diretor financeiro. Voltolini participou da instalação da Clínica de Terapia Integrada Uni Duni Tê, ligada à APAE, em setembro de 1991, e do Centro de Convivência Ruth de Sá, em março de 2001, o qual se propõe a oferecer melhor qualidade de vida a portadores de deficiência mental idosos ou maiores de 21 anos sem perspectiva de inserção no mercado de trabalho. Destaca-se ainda sua atuação nas diretorias do Clube de Caça e Tiro Araújo Brusque e da Sociedade Esportiva Bandeirante (SEB). Ele também foi membro do Conselho Técnico Consultivo do Senai - Lafite e presidente da AICA – Associação Industrial e Comercial da Azambuja, atual AmpeBr.

Carlos Jarbas Bruhns Cunha nasceu dia 23 de abril de 1935, em Porto Alegre (RS). Ainda pequeno, ingresso no Grêmio Náutico União, onde fez parte da equipe de saltos ornamentais, vôlei e basquete. Em 1961, mudou-se para Brusque a convite dos senhores Arthur Schlösser, o pai dos Jogos Abertos de Santa Catarina (JASC), Rubens Fachini e Orlando Müller, para ser treinador de voleibol, basquete e natação das equipes da Sociedade Esportiva Bandeirante (SEB). À frente do time de voleibol feminino, foi campeão dos JASC de 1961, em Florianópolis, 1962, em Blumenau, e 1963, em Joinville. Ainda em 1961, conduziu a seleção catarinense de vôlei feminino. Esteve também no comando das equipes masculinas de vôlei e basquete do Bandeirante, bem como do time feminino de voleibol das jogadoras veteranas. Além de treinador, representou o Bandeirante e Brusque como atleta, no JASC e em outros campeonatos. Naquela época, Jarbas Cunha se dividia entre os treinos à noite e o trabalho na Companhia Industrial Schlösser, durante o dia. Encerrou suas atividades no esporte nos anos de 1980.

Anselmo Scarduelli nasceu dia 17 de abril de 1961, em Maracajá (SC), município próximo a Criciúma (SC). Em 1983, formou-se engenheiro mecânico em Joinville (SC) e trabalhou para a empresa Cônsul S/A. Em 1987, residia em Tubarão e atuava na Cecrisa S/A Indústria e Cerâmica quando recebeu uma proposta de emprego da Retífica de Motores Criciúma, cidade onde morou até 1989. Chegou a Brusque em agosto daquele ano, onde instalou a Retífica de Motores Brusquense Ltda., pioneira neste serviço no município. Em 2003, formou-se em Administração pela Unifebe, instituição na qual também concluiu uma pós-graduação em Engenharia de Processos Industriais, em 2005. Foi presidente do Clube de Engenharia e Arquitetura de Brusque (CEAB) na gestão 2013-2014 e atualmente integra a diretoria da entidade. Também presidiu a Associação das Retíficas do Estado de Santa Catarina (Aresc), de 2010 a 2016, e hoje é seu vice-presidente. Scarduelli participa da vida comunitária da Igreja Matriz São Luiz Gonzaga, onde é membro da Pastoral Familiar desde 1998. Como voluntário, integra a comissão organizadora da festa da APAE de Brusque.

Vera Maria Bina da Silveira nasceu em 28 de agosto de 1944, em Bagé (RS). Em maio de 1971, mudou-se para Brusque. Em 1972, ingressou, por meio de concurso público, no magistério do Estado de Santa Catarina, e no ano seguinte graduou-se em Letras pela Universidade de Campanha, em Bagé. Possui especializações em Gramática Transformacional e Linguística, e Gramática Aplicada. Ministrou aulas em praticamente todas as escolas públicas estaduais de Brusque, lecionando as disciplinas de Português e Inglês. Por votação direta, foi eleita diretora da Escola Básica Osvaldo Reis, cargo que exerceu por quatro anos. Além de sua trajetória como educadora, Vera atuou como sócia-fundadora do Clube Soroptimista de Brusque, que presidiu por duas gestões, e participou ativamente da implantação da Delegacia da Mulher no município. Envolveu-se também com a Rede Feminina de Combate ao Câncer, o Círculo Bom Samaritano e o Lions Clube Internacional, bem como junto a projetos de valorização de mulheres e meninas.

Max Otto Riegert nasceu dia 21 de outubro de 1937, no hoje chamado município de Atalanta (SC). Ainda bebê, em 1938, mudou-se com os pais para a Alemanha, onde residiu até 1949, ano em que retornou ao Brasil. A família, então, fixou residência em Agrolândia (SC). A partir de 1952, estudou em São Leopoldo (RS), no Instituto Pré Teológico e na Escola Normal Evangélica, formando-se professor. Em 1958, na mesma cidade, organizou o primeiro Festival de Teatro das Escolas Evangélicas do Rio Grande do Sul. Neste ano, adaptou para o teatro o livro A Escrava Isaura, de Bernardo Guimarães, e participou da encenação da peça. Nos anos seguintes, lecionou em Rio do Sul (SC), e viveu e trabalhou também em Curitiba (PR), onde concluiu o curso Técnico em Contabilidade. Em 1965, Otto Riegert voltou a morar em Agrolândia, onde estabeleceu um escritório de assessoria contábil, e dois anos depois, estava de volta a Rio do Sul. Formou-se, então, em Administração de Empresas pela Unidavi – Universidade de Administração do Vale do Itajaí. Em 1991, chegou a Brusque junto da família, onde abriu uma empresa de confecções, cujas atividades encerraram em 2009. Em 1992, ingressou no Lions Clube Brusque Centro. Na entidade, da qual participa até hoje, foi presidente nos anos leonísticos - 2010-2011, 2011-2012 e 2016-2017 - e exerceu todos os outros cargos da diretoria. No município, assumiu também a presidência da Associação Lar dos Idosos Lions Clube de Brusque, junto da esposa, Úrsula.

Gilmar Doerner nasceu dia 19 de novembro de 1957, em Vidal Ramos (SC), e aos sete anos de idade mudou-se para Brusque com a família. Estudou no Colégio Estadual Dom João Becker, onde cursou o Ensino Fundamental, e no Colégio Cenecista Honório Miranda, no qual concluiu o Ensino Médio. No Senai – Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, fez o curso de Desenho Técnico Mecânico, e na Escola Teológica das Assembleias de Deus estudou Teologia. Em 24 de novembro de 1997, o pastor Doerner assumiu a presidência da Igreja Evangélica Calvário de Brusque, a qual conduz até hoje e que se destaca especialmente pelo cuidado e preocupação com a estrutura familiar. Desenvolve, sob a liderança de Doerner, trabalhos específicos para crianças, adolescentes, jovens e adultos, por meio de ministérios direcionados a trabalhar com homens, mulheres e casais individualmente. A instituição é norteada pela manutenção de princípios que, baseados na palavra de Deus, têm levado à reestruturação de vidas em nossa sociedade. Com foco na atenção e no amor às pessoas, consolida-se sob o lema "Igreja Evangélica Calvário, A Igreja Que Ama Você!"

    Nenhum tópico relacionado para este conteúdo;

    veja também