AGENDA

SESSÃO ORDINÁRIA: 27/06 - 17H

imprensa

08/06/2017

​Vereadores pedem que seja elevada a ponte do Rio Branco, que está em construção

Destaque

A ponte que vem sendo construída entre os bairros Rio Branco e Souza Cruz esteve entre os destaques da última sessão ordinária da Câmara de Vereadores, na terça-feira, 6. Em requerimento aprovado pelo plenário, o presidente do Legislativo, vereador Jean Pirola (PP), solicita ao poder Executivo que suspenda imediatamente a concretagem da estrutura e que o Departamento Geral de Infraestrutura (DGI) realize um estudo de adequação do projeto de construção, a fim de que a altura da ponte, em relação ao leito do rio, seja maior.

No requerimento, Pirola argumenta que, em relação às “pontes municipais, a referida ponte é a que se encontra em plano menos elevado”, fator preocupante, já que ela pode vir a se tornar uma represa nas cheias do Itajaí Mirim. Na mais recente delas, no último final de semana, contou o vereador, o prefeito Jonas Paegle (PSB) e o vice-prefeito Ari Vequi (PMDB) estiveram no local junto do grupo de apoio à Defesa Civil e constataram que o “dimensionamento da obra está equivocado”.

“Todas as demais pontes de Brusque são, pelo menos, dois metros mais altas. Isso que no governo do Roberto Prudêncio Neto ela foi levantada 1,5 metro”, observou na tribuna o legislador. “A comunidade está muito preocupada. O rio já chegou a atingir um pico de dez metros. Desta vez, se chegasse a nove, esta ponte já estaria embaixo d’água”. Pirola acrescentou que o encarregado pela obra o informou de que ainda é possível mudar a altura da ponte. “Por isso, o requerimento tem caráter de urgência, para que o prefeito e o secretário da Agência de Desenvolvimento Regional interfiram e não deixem concretá-la”.

Ao se manifestar sobre o assunto, Ivan Martins (PSD) defendeu a importância da construção da barragem de Botuverá, a continuidade das obras do PAC e prolongamento da avenida Beira Rio como medidas essenciais para minimizar o impacto das enchentes em Brusque.

“Claro que precisa haver toda uma análise de engenharia, mas este é o momento certo de verificar se é possível erguer a ponte mais alguns metros”, afirmou o líder do governo na Câmara, Deivis da Silva, o Deivis Jr. (PMDB). “Com certeza haverá a sensibilidade dos governos municipal e estadual, que juntos estão executando esta obra”, complementou.

Celso Carlo Emydio da Silva, o Dr. Celso (DEM), também se posicionou, reforçando que o município sofrerá prejuízos futuramente caso a nova ponte permaneça como está: “É lógico e visível que existe a necessidade absoluta que se levante a ponte”.

Os vereadores alertaram que modificações futuras, após a concretagem da estrutura, demandarão ainda mais recursos dos cofres públicos.

Talita Garcia/Câmara Municipal de Brusque  

    Nenhum tópico relacionado para este conteúdo;

    veja também